Natal, ano novo, férias… Nessa época do ano é comum as pessoas deixarem suas casas para viajar. Porém o problema é quando chove, a água fica acumulada e com esse calor, o mosquito da dengue se reproduz rapidamente.

Devido a esses fatores, os agentes de endemias e o Comitê Gestor da Dengue de São Miguel do Iguaçu estão fazendo nessa semana um levantamento do índice de infestação do aedes aegypti nas comunidades do município.

De acordo com o Supervisor da Vigilância Sanitária, Marcos de Deus, algumas comunidades já foram visitadas e o índice de infestação do mosquito da dengue aumentou. “O número tolerado pela Organização Mundial de Saúde é de 1%. Porém nas comunidades de Santa Rosa do Ocoy e em São Jorge, conseguimos notar que essa porcentagem pode chegar de 10 a 20%”, relata o supervisor Marcos.

Os números são preocupantes, mas nessa época do ano esse aumento é normal, conforme Marcos. O correto é que todas as famílias cuidam dos seus quintais para não acumular água e evitar o criadouro do mosquito.

Nas áreas rurais os principais criadouros são as lonas plásticas, utilizadas para cobrir tijolos, lenha e outros objetos. Também têm os reservatórios da água da chuva, pessoas que utilizam a água para lavar calçadas e regar plantas e esses locais devem ser cobertos, de preferência com as telinhas.
Marcos ainda conta que não adianta o carro fumacê passar nas comunidades dedetizando as casas, se a população não colaborar também. “Os carros ‘fumacê’ passam matando os mosquitos que estão voando por aí. Porém uma fêmea coloca em torno de mil ovos e, as larvas que estão nos recipientes de água não morrem com essa dedetização”, revela Marcos.

Diante disso, a orientação é manter caixas d'água, tonéis, barris, e poços bem fechados. Tampar com a tampa própria ou telas. Eliminar xaxins e pratinhos de vasos de plantas, ou então, escorrer a água todos os dias e lavar o pratinho com escova, água e sabão uma vez por semana. Ou colocar areia até a borda do pratinho. O reforço do fumacê não elimina a responsabilidade de cada pessoa manter sua residência ou imóvel livre de focos do mosquito.

Depois de todas as comunidades serem visitadas pelos agentes de endemias, será marcada uma reunião com o Comitê Gestor da Dengue para ver os resultados e saber qual a direção que vai ser colocado em trabalho.

Em caso de sintomas da dengue (dores de cabeça, cansaço, dor muscular e nas articulações, indisposição, enjoos, vômitos, manchas vermelhas na pele, dor abdominal), é recomendada a procura do serviço médico.
 

 

 

ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO


Compartilhe

Google+