Devido aos boatos que ocorreram na última semana sobre a suposta falta de merenda escolar em alguns Centros Municipais de Educação Infantil de São Miguel do Iguaçu, o Conselho da Alimentação Escolar reuniu-se nesta manhã (05) para tratar o assunto. Conforme os conselheiros, a informação não procede. O Município mantém um estoque elevado de alimento escolar e a maioria das escolas e CMEIs também possui merenda estocada, disseram os conselheiros que fizeram vistorias nas instituições de ensino.

De acordo com a nutricionista da Secretaria Municipal de Educação, Eveline Vandressa Valduga, os comentários não são verdadeiros e o Município mais uma vez sofre com boatos. “O fornecimento de merenda escolar está sendo cumprido e nós temos algumas exigências por Lei de valores nutricionais. Devido ao lanche especial do Dia das Crianças, alguns itens da merenda, por exemplo, óleo e sal, ficaram com um valor menor do que o necessário e também tivemos o feriado do Dia do Servidor Público (dia 28) fazendo com que atrasasse a entrega da merenda, mas isso não influenciou na falta do alimento para as crianças”, enfatiza Eveline.

A nutricionista explica também que as merendeiras têm total liberdade para fazer algumas alterações no cardápio escolar. “Por exemplo, se na segunda-feira o cardápio é arroz, feijão, carne moída e batata e na quarta-feira for macarronada, se na segunda não tem o arroz pelo atraso da entrega, a merendeira pode fazer a troca do cardápio de quarta-feira para a segunda e cumprir o cardápio que seria de segunda na quarta-feira”, explica.

Outra questão é sobre o lanche saudável que foi implantado há anos na Escola Municipal Vitorino Barbiero, onde uma vez na semana o aluno pode levar um suco, um sanduíche para comer na hora do intervalo, mas neste dia a escola não deixa de ofertar a merenda escolar. “Esse é um projeto de escola, a escola optou por esse projeto de alimentação saudável. Porém, ela oferece aos alunos chá com bolacha, àqueles que levaram ou não, o lanche”, garante a nutricionista.

A presidente do Conselho da Alimentação Escolar, Luciana Regina Ghellere Montibeler esteve nas escolas e CMEIS, na semana passada, vistoriando os estoques da merenda escolar. “Assim que fiquei sabendo desses comentários nas redes sociais, como presidente me senti no direito e na obrigação de esclarecer alguns fatos, para verificar se havia algum fundamento. E na quarta-feira (29) pela manhã, sem informar a Secretaria de Educação eu estive visitando aleatoriamente as escolas e conversando com as diretoras e merendeiras, vistoriando e fotografando as dispensas, congeladores, geladeiras e o que eu constatei na verdade, é que praticamente 100% das escolas e CMEIS onde estive não faltavam merenda, inclusive teve lugares que tinha muitos produtos que até poderia ser dividido com outros locais”, explica Luciana.

A presidente do Conselho também conversou com alguns fornecedores e relataram que em nenhum momento deixaram de entregar alimento nas escolas.

Conforme relatório da Secretaria Municipal de Educação, 45% do valor investido na merenda escolar vem do Governo Federal; o restante (55%), cabe ao Município. Também é a obrigação dos CMEIs suprir em 75% o valor nutricional pela merenda, e no momento está sendo atendido 100%, o que garante que nenhuma criança que frequenta as escolas municipais e CMEIS de São Miguel é desnutrida.

 

*As fotos foram registradas dia 29 de outubro, pela presidente do Conselho da Alimentação Escolar, Luciana.


ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO

Públicado às 13h17


Compartilhe

Google+