Na manhã de ontem (7), as 22 famílias que fazem parte do Projeto Minha Casa Minha Vida Sub-50, estiveram reunidos na Sala de Reunião do Paço Municipal Abel Bez Batti, junto com representantes da Cresol, Cohapar e equipe da prefeitura para assinatura do aditivo de contrato da nova empresa que retomará as obras habitacionais.

O Projeto Minha Casa Minha Vida Sub-50, criado pelo Governo Federal tem como objetivo dar apoio aos municípios com população abaixo de 50 mil habitantes. Cada município recebeu uma proposta de apoio de R$ 28 mil para a construção de casas, e São Miguel tem 22 famílias que estão cadastradas no programa, onde corresponde renda de até R$ 1.600.

O gerente de projetos da Prefeitura Municipal, Luciano Aparecido Neris explica que as obras iniciaram em abril de 2013, porém a empresa que foi selecionada pelo Ministério das Cidades, executou a obra de uma forma negligente. “Ela não teve os cuidados com a questão de engenharia, qualidade na obra, resumindo não se dedicou muito na obra, atrasando o cronograma”.

Devido a isso, as famílias, junto com o apoio da prefeitura, Cohapar e Cresol encaminharam um pedido de liminar para que a empresa fosse retirada dos canteiros de obras. A liminar foi concedida pelo juiz da Comarca de São Miguel do Iguaçu e dos outros municípios.

A nova empresa Vale Sul Edificações LTDA – ME de Francisco Beltrão irá concluir o projeto que foi parado, e em breve as 22 famílias poderão residir na casa própria, que estão sendo construídas no Conjunto Habitacional Ecovila. 

 


ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO

Tallini Klassmann – MTE 10.115/PR
Atualizado às 17h10

 


Compartilhe

Google+