A Escola Municipal La Salle do distrito de Santa Rosa do Ocoí aderiu ao programa Mais Educação, do governo federal, e passou a oferecer atividades durante todo o dia aos alunos do ensino fundamental.

 

Em São Miguel do Iguaçu, outro colégio que faz parte do programa é o Colégio Estadual do Campo Castelo Branco. A adesão, de parte das escolas municipais ou estaduais, é facultativa a cada instituição de ensino.

 

Ao aderir ao programa, a escola pode escolher dentre os diversos macrocampos as oficinas a serem desenvolvidas. Os macrocampos são: educação ambiental, esporte e lazer, direitos humanos em educação, cultura e artes, cultura digital, promoção da saúde, comunicação e uso de mídias; sempre com acompanhamento pedagógico.

 

A escola La Salle optou pelas oficinas de brinquedoteca, música, dança e acompanhamento pedagógico, que são as aulas de língua portuguesa e matemática. O aluno passa o dia todo na instituição e desenvolve as atividades do Mais Educação no contraturno escolar.

 

Para que as atividades sejam aplicadas, a escola recebe recursos da União para aquisição de materiais e equipamentos. O valor repasse varia de acordo com o número de alunos atendidos. Na Escola La Salle, já foram adquiridos dez violões com kit afinador, jogos de quebra-cabeças, petecas, material de apoio pedagógico, caixa de som amplificada para aulas de dança, materiais esportivos como tênis de mesa e futebol de mesa, e armários. A verba também pode ser utilizada para efetuar reparos na estrutura da escola.

 

Conforme a secretária de Educação, Marli Frasson Possamai, o Município oferece contrapartida para a idealização do programa. “Como os alunos passam a ficar o dia todo no colégio, aumentamos os investimentos em merenda escolar e reforçamos o número de cozinheiras”, disse Marli, em visita à Escola La Salle onde acompanhou o desenvolvimento do projeto na manhã de ontem (9).

 

Segundo ela, o Mais Educação faz com que as famílias tenham a oportunidade de deixar os filhos nas escolas durante todo o dia. “A criança não vai ficar somente na frente da televisão ou do computador, o aluno vai passar o dia aprendendo e se exercitando. Com as aulas de música, podemos até despertar novos talentos para a cidade”, pontuou a secretária.

 

Os monitores que aplicam as oficinas podem ser alunos universitários que desempenham trabalho voluntário, sem vínculo empregatício, mas contam com  ajuda de custo.

 

ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO

Josnei Wolfart – MTE 10.009/PR
Fotos: Camila Rovaris

Publicado às 16h27


Compartilhe

Google+