A Vigilância Sanitária em Saúde de São Miguel do Iguaçu divulgou nesta semana o resultado do último Levantamento Rápido de Índices de Infestação pelo Aedes aegypti (LIRAa).

A varredura realizada pelos agentes de saúde entre os dias 25 e 29 de março, registrou um índice de 6,6%. Esse resultado mostra um aumento em relação ao LIRAa realizado em janeiro que registrou 5,1% de circulação do mosquito Aedes Aegypti. Segundo o Ministério de Saúde os levantamentos são avaliados da seguinte maneira: Inferiores a 1%: estão em condições satisfatórias; De 1% a 3,9%: estão em situação de alerta; Superior a 4%: há risco de surto de dengue.

Além do índice super alto, atualmente São Miguel do Iguaçu está com 07 casos de dengue confirmados.

O Técnico de Vigilância em Saúde de São Miguel, Marcos de Deus, afirma que os locais onde mais se encontra focos do mosquito são nas cisternas, caixas de gordura e fossas, por isso ele pede que a população faça a sua parte. “É importante a população se conscientizar no uso da água sim, mas não pode esquecer-se de tomar as devidas providências, principalmente com as cisternas, que devem ter telas e também permanecer devidamente fechada, impedido a entrada dos mosquitos”.

Apesar de o verão ser mais propício para a proliferação do Aedes, o técnico Marcos também ressalta que os cuidados devem continuar durante o inverno. “A dengue deve ser combatida durante o ano todo, no verão e no inverno, porque a prevenção e os cuidados que a gente tem hoje pode impedir uma nova epidemia e mortes em decorrência dessas doenças” reforça o técnico.

 

ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO, IMPRENSA E MÍDIA SOCIAL


Compartilhe

Google+