O Levantamento Rápido de Índices para Aedes Aegypti (LIRAa) realizado neste mês de novembro coloca o município de São Miguel do Iguaçu em alerta máximo para a dengue. O Índice de Infestação Predial (IIP), que em agosto estava em 2,1% subiu para 8%, sendo que o preconizado pelo Ministério da Saúde é de até 1%. Isso significa que a cada 100 casas vistoriadas em 8 foram encontradas larvas do mosquito.

Tendo em vista esse alerta, o Governo Municipal de São Miguel do Iguaçu, por meio da secretaria municipal de Saúde, e o Comitê Intersetorial para Controle da Dengue realizou no sábado, 27 de novembro, o ‘dia D’ de combate à dengue. A ação, que seguiu orientação do Estado, aconteceu das 08h00 às 11h30 em uma tenda instalada na Rua Farroupilha.

Durante a ação, houve distribuição de planfetos e flyers explicativos sobre maneiras de prevenção ao mosquito Aedes Aegypti, transmissor também da chikungunya, zika e febre amarela.  Também foi realizada a apresentação para a comunidade do correto manuseio e conservação do uso de uma cisterna, local que armazena água da chuva.  Há muitos desses locais pela cidade, no entanto, são conservados de forma incorreta o que leva a ser criadouro do mosquito da dengue. Além desse local, houve também a distribuição de panfletos e flyers em supermercados do município.

O evento contou ainda com a participação da Associação de Senhoras dos Rotarianos (ASR), tendo em vista que a entidade vai desenvolver no ano que vem, com o apoio do Governo Municipal, o projeto “Dengue…na minha casa você não tem vez”. O trabalho vai envolver alunos dos 3º e 4º anos das 13 escolas municipais e o objetivo é diminuir a incidência do mosquito transmissor da dengue mobilizando as famílias, através das crianças. O projeto vai iniciar em fevereiro de 2022.

ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO, IMPRENSA E MÍDIA SOCIAL


Compartilhe

Google+