O superintendente Estadual do Ministério da Pesca, José Vigineski visitou São Miguel do Iguaçu, sendo recepcionado pelo prefeito Armando Polita e presidentes de associações de pescadores dos municípios do extremo oeste do Paraná e pelo coordenador do Programa DRS – Desenvolvimento Regional Sustentável – segmento Piscicultura, Clóvis Ribeiro Filho.

 

No encontro, realizado na sala de reuniões do Centro Administrativo Abel Bez Batti, o superintendente do Ministério da Pesca e Aqüicultura para o Estado do Paraná, debateu com os presentes o atual estágio vivido pelo segmento e quais os próximos passos que podem ser dados para solidificar a piscicultura como fonte alternativa de renda.

 

Os líderes das Colônias de Pescadores de Foz do Iguaçu, Flávio Dabroski, de São Miguel do Iguaçu, Adilson Borges (Dicão), Itaipulândia, Ademar José Vargas, Santa Helena, Lírio Hoffman e ainda o Secretário da Agricultura e Meio Ambiente, Liceu Joner e o seu colega de Itaipulândia, Gelson Lautert, ouviram do superintendente que o segmento se apresenta em constante crescimento e que o BNDES – Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social tem recursos disponíveis. Basta que sejam apresentados projetos de fomento a piscicultura.

 

Também foram informados sobre projetos da região oeste, já contemplados com recursos do banco oficial de fomento do governo. Segundo o superintendente o Banco já aprovou investimentos de vinte e cinco milhões de reais, através de uma cooperativa em Cafelândia.

 

Vigineski sustenta que a piscicultura tem grande potencial econômico e que o município São Miguel do Iguaçu está em vantagem perante os demais, já que possui um frigorífico que atende as exigências sanitárias, tem capacidade para abater 3 mil quilos de peixes/dia e que pode ser ampliada.

 

A carne de peixe é saudável e eu aconselho toda a população para que não só coloque o peixe no cardápio alimentar da sexta-feira santa. Coloque no cardápio de todas as sextas-feiras” – afirma ele na forma incentivo ao consumo de peixe.

 

Uma rodada de negociações com os executivos do BNDES está sendo preparada pela própria Superintendência do Ministério da Pesca quando as lideranças das colônias de pescadores, prefeituras e DRS pretendem apresentar ao Banco o projeto de viabilidade econômica.


Compartilhe

Google+