Na manhã de hoje (01), o prefeito de São Miguel do Iguaçu, Claudio Dutra, e a diretoria da Sociedade Médica Mãe de Deus assinaram a liberação do alvará de construção da unidade hospitalar e um TAC – Termo de Ajustamento de Conduta, com prazo de 180 dias para regularização.

 

O Ministério Público também será informado do acordo firmado para que acompanhe o andamento das liberações para a abertura do hospital.

 

O Hospital Mãe de Deus é um empreendimento particular que foi construído na Avenida Iguaçu, onde antigamente funcionava o Hospital São Miguel. Quando entrar em funcionamento atenderá casos de média e alta complexidade.

 

“Sempre fomos favoráveis e continuamos fazendo o possível para que o hospital abra o mais rápido possível”, disse o prefeito Claudio Dutra. “Já conversamos com os prefeitos da região para que, quando o Mãe de Deus estiver em condições de atendimento, toda a população do extremo oeste seja atendida aqui. Assim não dependeremos mais de nos deslocar até Foz do Iguaçu”. Para o prefeito, a posição geográfica em que São Miguel do Iguaçu se localiza favorece a centralização da saúde regional.

 

Conforme o diretor executivo do Hospital Mãe de Deus, o estabelecimento foi projetado para atender a todas as legislações pertinentes à atividade-fim. “Tivemos algumas dificuldades com relação às documentações para liberação do alvará de construção, pois no local antes já havia um hospital. Como decidimos ampliá-lo, tivemos certa demora na providência da documentação”, disse Wagner Mattos, diretor executivo do Hospital.

 

O próximo passo na questão documental para a abertura definitiva do hospital, segundo o diretor, é a solicitação do “habite-se” parcial, alvará de funcionamento parcial, alvará sanitário e o cadastramento no CNES – Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde. Em seguida serão requeridos os credenciamentos junto aos governos.

 

Quanto à questão estrutural, dos 400 leitos previstos para entrarem em funcionamento quanto o hospital estiver totalmente pronto, 120 foram concluídos, além de 30 UTIs (adultas e neonatais) e cinco blocos cirúrgicos. A área já finalizada corresponde a 9 mil m². “Até novembro instalaremos o gerador e um transformador, que ainda faltam para alimentação elétrica, o que nos habilita a entrar em funcionamento em breve”, pontuou Mattos. Ele agradeceu o empenho do prefeito e da equipe técnica do Governo Municipal pelo trabalho e atenção.

 

Também participaram do encontro a secretária de Saúde, Maria Elisabete de Borba, a primeira-dama Serli dos Reis Dutra, vereadores e demais secretários municipais.

 

Saúde – Atendimentos de baixa complexidade e atenção primária à saúde dos são-miguelenses continuarão sendo feitos pela Administração Municipal no Pronto Atendimento 24 Horas e UBS’s. Partos e pequenas cirurgias serão procedidos no Hospital e Maternidade Municipal que está em processo de licitação.

 

ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO

Josnei Wolfart – MTE 10.009/PR

Publicado às 16h45


Compartilhe

Google+