O prefeito de São Miguel do Iguaçu, Claudio Dutra, participou na última sexta-feira (16), de uma reunião do Conselho Gestor do Fundo Municipal de Habitação de Interesse Social, que teve como objetivo a regulamentação fundiária e documentação referente ao Conjunto Habitacional Renascer e Loteamento Eco Vila.

Ao total, 93 famílias estão cadastradas na Associação de Moradores de Aluguel de São Miguel do Iguaçu – AMASMI, para morar nesses dois loteamentos, algumas já conseguiram o beneficio da casa própria em 2003 e outras ainda estão aguardando, porém alguns destes imóveis já foram vendidos e a documentação está irregular.

De acordo com o Gerente de Projetos da Prefeitura, Luciano Neris, as famílias que já foram beneficiadas não podem vender o imóvel e nem alugar. “Infelizmente não é isso que acontece, muitas famílias venderam as casas, ou alugaram, e isso está gerando transtornos para aqueles que ainda querem conquistar o beneficio, e também o novo dono do imóvel não consegue passar a documentação para seu nome”, explica Luciano.

Além do prefeito Claudio, os vereadores Edson Ferreira e Elton Somavilla e a Secretária de Assuntos Comunitários, Clarice Ebert Ferreira, estiveram presentes na reunião, pois irão ajudar na regularização da documentação desses imóveis.

Dutra, desde que assumiu a Administração Municipal deu ordem para resolver a situação de quatro assentamentos que estavam desorganizados. “Nós temos um compromisso com vocês, prometemos e estamos cumprindo, vamos regularização esta questão, para cada um ter a sua escritura. Isso para nós é motivo de muita alegria, já realizamos várias obras, a Maternidade Municipal já está em construção, o Pronto Atendimento está em fase de licitação, ainda vamos realizar outras obras em beneficio a população de São Miguel”, exalta Claudio Dutra.

A Secretaria de Assuntos Comunitários a partir desta quarta-feira (21) estará recebendo as famílias que estão com os documentos dos imóveis irregulares. “Nós vamos esperar essas famílias para atualizar o cadastro da melhor forma possível, para que esses novos donos tenham a escritura no seu nome. Estaremos fazendo um cronograma, para que todas as famílias sejam atendidas em dias diferenciados, sem causar transtornos. Os novos donos devem comparecer na secretaria portando todos os documentos pessoais e do imóvel”, explica a secretária Clarice. 

Na ocasião, o Conselho marcou outra reunião para o mês que vem, onde será trabalhado o projeto de Lei e encaminhado para a Câmara de Vereadores para votação.

O vereador Somavilla salienta que “quando o projeto de Lei for para a Câmara de Vereadores para ser aprovado, esperamos todos vocês lá na Assembléia, assim vocês estarão acompanhando de perto e verão quem irá votar a favor ou contra, mas tenho certeza que ao verem a cara de vocês de que estão lutando para ter a casa própria, nenhum vereador irá votar contra”.

A conquista de ter a escritura no nome do novo dono do imóvel já é antiga, outros projetos de Lei já foram encaminhados para a Câmara Municipal, porém nenhum teve resultado positivo.
 


ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO

Tallini Klassmann – MTE 10.115/PR

Públicado às 10h26


Compartilhe

Google+