O antigo problema habitacional de São Miguel do Iguaçu, pode-se dizer que está sendo solucionado. Na noite de ontem (10), mais de 400 pessoas participaram de uma reunião técnica para a apresentação do projeto habitacional do Loteamento Liberdade, onde serão construídas 500 casas populares.

O projeto desenvolvido em parceria pelos governos Federal, Estadual, Municipal e a Associação Habitacional de Interesse Social, já está em fase final de aprovação pela Caixa Econômica Federal. As famílias estão selecionadas e o próximo passo é a apresentação do projeto ao Ministério das Cidades.

O projeto contempla 500 unidades, divididas em duas fases, que contarão com toda a infraestrutura urbana, com investimentos da Copel e Sanepar, além de equipamentos de lazer. A previsão é de que sejam investidos mais de R$ 30 milhões no empreendimento.

O gerente do escritório regional da Cohapar de Cascavel, Odejalma Cordeiro relatou que essas reuniões são essenciais. “É importante que as pessoas sejam informadas sobre cada passo do projeto, pois é um sonho que está sendo concretizado. Nada mais justo que elas participem e entendam todas as etapas".

Para o prefeito Claudio Dutra, as boas parcerias estão proporcionando vida nova a mais 500 famílias. "Estas pessoas não vão somente mudar para uma casa digna, mas também terão melhores condições de saúde, pois um lar decente permite que todos vivam melhores”, afirmou.

O diretor executivo da Associação Habitacional de Interesse Social, Antônio Langaro Sobrinho, disse que é muito importante que as famílias acompanhem o projeto. "Todos estão animados e muito felizes porque sabem exatamente como tudo está acontecendo. Primamos pela transparência na condução deste processo", declarou.

O senhor Conrado Soares Souza de 74 anos, terá uma casa própria pela primeira vez na vida e disse que está muito feliz com a oportunidade. "Deus está me dando uma chance de ser ainda mais feliz. Vou deixar de pagar aluguel para pagar as prestações da minha casa, meu coração até bate mais acelerado quando penso nisso".

Já o José Aparecido Santos Gomes e a mulher Ivanilda Meiner que moram com dois filhos em uma área de invasão na beira do rio, disseram que mal podem esperar para ter a casa própria. "É muito sofrimento o que já passamos, desespero nos dias de chuva, mas isso está com os dias contados. Agora teremos uma nova oportunidade", disse José.

O sistema construtivo utilizado será o wood frame, uma tecnologia de última geração que utiliza estruturas de madeira e placas de gesso. Isso dá agilidade à construção, é autossustentável, tem semelhança estética e o mesmo conforto da alvenaria convencional.

 


ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO / COHAPAR

Tallini Klassmann – MTE 10.115/PR

Publicado às 10h11


Compartilhe

Google+