Buscar o fomento das empresas da região através da qualidade nos processos. Essa é a ideia central de um projeto inovador que está sendo desenvolvido pela Secretaria de Indústria, Comércio e Serviços de São Miguel do Iguaçu, sobre a aplicação de qualidade nos processos de produção, comercialização e gestão das empresas.


O secretário municipal de Indústria, Comércio e Serviços, Luiz Antonio Klajn, em reunião na última semana, expôs a idéia do projeto à vice-prefeita e secretária de Desenvolvimento Socioeconômico de Foz do Iguaçu, Ivone Barofaldi, e o presidente da Associação Comercial e Industrial daquele município, Roni Carlos Temp. A intenção é também desenvolver a ação em conjunto com Santa Terezinha do Itaipu.


Segundo Luiz Antonio, é difícil para as empresas chegarem a um ponto de gerenciamento do Custo Brasil, que envolve, entre outros, custo de produção e aquisição de materiais, para que possam combater produtos importados, como o chinês. “Hoje as empresas pensam em quantidade e estão lutando para diminuir custos e encontrar um valor de equilíbrio. Vamos parar de pensar em quantidade, e sim em qualidade, para combatermos esses produtos”.


O secretário reforça a necessidade de mudar o modelo de negociação da região, que hoje, conforme ele, tem um estereotipo de produtos com baixa qualidade, pela questão da importação através de Foz do Iguaçu.


“Nesta ótica, o projeto visa o seguinte: aquela confecção que a dona de casa possui, fazendo muitas peças a troco de centavos, ela pensa em produzir menos, mas com qualidade e valor agregado a esse produto. Este mercado existe e com vários exemplos. O objetivo é que a qualidade seja a palavra de ordem. Implantada no modelo de gestão e produção, passa a repercutir financeiramente, e deve ser encarada como sobrevivência empresarial”, exemplificou Klajn.


A ideia, de início, foi muito bem aceita, de acordo com o secretário, e deve ser aderida pelos municípios com a formatação do projeto. “O próximo passo é participar da reunião do Codefoz para formar os parceiros e apresentar o projeto aos prefeitos”, informou.


Modelo – Neste projeto, como forma de incentivo, as empresas participantes serão premiadas por meio de concurso. O modelo que será desenvolvido na região é baseado no Projeto Gaúcho de Controle e Qualidade. “Esta ação visa fazer com que a nossa região seja conhecida como referência e o nosso carimbo seja a qualidade. Não podemos mais pensar em ações isoladas. Vamos transformar a qualidade em algo real dentro das pequenas empresas para que passem a ter lucro, porque esse modelo de produção tem preço e mercado garantido”, afirmou o secretário. Para isso será criado um sistema com mecanismos de avaliação, buscando a experiência de outras empresas e parceiros, como o Parque Tecnológico de Itaipu, Sebrae, e universidades.

 

 

Assessoria de Comunicação


Compartilhe

Google+