São Miguel do Iguaçu recebeu na manhã de hoje (24) representantes do Ministério da Saúde para avaliar e afinar os trabalhos do Programa ‘Mais Médicos’ (PMM) do Governo Federal. São Miguel do Iguaçu é pioneiro no PMM no Paraná, sendo o município da 9ª Regional de Saúde que mais recebeu profissionais.

 

Além da secretária municipal de Saúde Maria Elisabete de Borba e dos oito profissionais do programa que atuam na cidade, também estavam reunidos a supervisora do (PMM) em São Miguel, Lilimar Nadolny Mori, o tutor do programa no Paraná e professor da UFPR, Edevar Daniel, o médico Haroldo Ferreira, do Ministério da Saúde, o prefeito Claudio Dutra e seu vice Mauro Remor.

 

Foi proferida uma palestra sobre a organização do programa, suas principais dificuldades e avanços obtidos durante o período em que o Mais Médicos foi implantado na cidade.

 

“Hoje, São Miguel do Iguaçu é destaque a nível nacional no programa Mais Médicos. Estamos muito satisfeitos com a conquista e temos expectativa de que nossa cidade recebe ainda mais três profissionais que devem chegar ainda este ano”, comemorou a secretária de Saúde Maria Elisabete de Borba.

 

Sobre a avaliação do programa em São Miguel, o tutor garante que é “excelente”. “Esta cidade saiu na frente por isso foi uma das primeiras a receber médicos e o acompanhamento que temos feito é de que os profissionais foram bem recebidos aqui e estão fazendo um bom trabalho. Acredito que a cidade será referência para a região”, avalizou Edevar Daniel. Ele aproveitou para anunciar 120 vagas para o curso de medicina que será aberto nas cidades de Toledo e Cornélio Procópio, além do curso de medicina previsto para a UNILA.

 

Já o representante do Ministério da Saúde afirmou que “a reunião serviu para discutir dificuldades que, por meio delas, poderemos melhorar ainda mais o programa que, além do provimento de médicos, prevê a formação de médicos para o nosso país”. Haroldo Ferreira também salientou que o resultado positivo da iniciativa se deve à dedicação e organização da Secretaria Municipal de Saúde.

 

Na semana passada, uma equipe chefiada pela supervisora Lilimar Nadolny Mori vistoriou as Unidades Básicas de Saúde onde os médicos estão atuando. Também foi respondido um questionário elaborado pelo Ministério da Saúde. “Este é a minha terceira visita à São Miguel, conheço todas as unidades onde os médicos trabalham e a ideia é que estes profissionais estejam integrados na atenção primária à saúde. E o município está correndo atrás de melhorar a estrutura física das unidades para dar conforto pra quem trabalha e pra quem é atendido. Isso não acontece do dia pra noite, é um história que São Miguel está escrevendo diferente, e como pioneiro, São Miguel recebeu mais críticas, mas vai colher os frutos antes”, comentou Lilimar.

 

Os oitos profissionais do programa que atuam na cidade também foram ouvidos. Estes foram unânimes em afirmar que foram bem recebidos e estão contentes quem trabalhar em São Miguel.

 

Programa – Lançado pela presidente Dilma Rousseff em julho do ano passado, o Mais Médicos objetiva acelerar os investimentos em infraestrutura nos hospitais e unidades de saúde, além de ampliar o número de médicos nas regiões carentes do país, como os municípios do interior e as periferias das grandes cidades. Antes do programa, pelo menos 800 municípios do Brasil nunca puderam contar com médico residente no município.

 

Os médicos do programa recebem bolsa de R$ 10 mil, paga pelo Ministério da Saúde. Já os custos com moradia, alimentação e deslocamento ficam por conta dos próprios municípios. Cada um deles recebe em torno de R$ 1.300,00 da prefeitura.

 

Em todo o estado 249 médicos atuam pelo programa que conta também com o acompanhamento de 36 supervisores e três tutores.

 

 

ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO


Compartilhe

Google+