O prefeito de São Miguel do Iguaçu, Claudio Dutra, reuniu-se na última quinta-feira (13) com o chefe do Escritório Regional da SEDS, Cesário Ferreira Filho, para tratar do Programa Família Paranaense. Na ocasião, também estiveram presentes a secretária municipal de Assistência Social, Serli dos Reis Dutra, equipe técnica do órgão gestor e da Secretaria Estadual da Família e Desenvolvimento Social (SEDS).

 

A reunião teve por finalidade expor a metodologia do Programa que tem como objetivo principal fazer um trabalho diferenciado com as famílias inseridas no Cadastro Único. A atribuição do Família Paranaense é articular as políticas públicas de várias áreas, visando o desenvolvimento, o protagonismo e a promoção social das famílias que vivem em situação de vulnerabilidade e risco social.

 

Por meio de ofício encaminhado pelo prefeito, no dia 14, à Secretária Estadual da Família e Desenvolvimento Social, Fernanda Richa, o Município solicita a adesão ao Programa Família Paranaense e à modalidade de Atenção às Famílias dos Adolescentes Internados por medida socioeducativa – AFAI.

 

Conforme Claudio Dutra, o município de São Miguel do Iguaçu está comprometido com a Política de Assistência Social e busca amenizar as questões de vulnerabilidade social existentes no mesmo. “Compreendemos que este Programa desenvolvido pela Secretaria Estadual da Família e Desenvolvimento Social é estratégico para a nossa gestão, pois estamos buscando tudo o que estiver ao nosso alcance para ajudar as famílias que mais necessitam de atenção e cuidado”, frisou Dutra.

 

De acordo com o chefe do Escritório Regional da SEDS, Cesário Ferreira Filho, o Programa desenvolve um trabalho com acompanhamento familiar e intersetorialidade das secretarias estaduais e municipais no atendimento às demandas das famílias. Para isso, é feito um cadastro, aproveitando os dados que o CRAS já possui, e um plano de ação acompanhando-as por dois anos para ver se evoluem nas questões familiares, independência financeira e outros fatores. “O programa está dentro da legislação da Assistência Social e é realizado em parceria com os órgãos federais com o intuito de fazer um trabalho direcionado às famílias para que a curto ou médio prazo possamos tirá-las da situação de vulnerabilidade social que se encontram”, explicou Cesário.

 

Num primeiro momento, o trabalho será realizado com 40 famílias são-miguelenses.

 

 

ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO


Compartilhe

Google+