O sonho da casa própria está se tornando realidade para 250 famílias de São Miguel do Iguaçu. Tudo porque o maior projeto habitacional do município já foi iniciado. Duzentas e cinquenta unidades habitacionais estão sendo construídas no Loteamento Liberdade – uma parceria entre os Governos Federal e Municipal, Associação Habitacional de Interesse Social (AMASMI), Caixa Econômica Federal, através do Programa Minha Casa, Minha Vida – Entidades, Copel e Sanepar.

As habitações unifamiliares têm 43 m², com sala, cozinha, banheiro, dois quartos e área de serviço. Um investimento de R$ 19.561.611,57, gerando empregos e renda às famílias são-miguelenses.

Seu Serafim Rodrigues Pereira com 90 anos de idade é o associado mais velho da AMASMI. Ele é um dos beneficiados do projeto. De acordo com o Gerente de Projetos da Prefeitura, Luciano Neris, a previsão de entrega das casas é para daqui doze meses.

A lista dos candidatos indicados pela entidade organizadora para a primeira fase do empreendimento foi gerado através de arquivo do CadÚnico e publicado no Diário Oficial Eletrônico, edição nº 1.260.

O acesso à moradia regular é uma condição básica para as famílias de baixa renda. Deste modo, o Governo Municipal foi contemplado ao financiamento habitacional para a população de baixa renda objetivando a redução de déficit habitacional do município.

O Executivo Municipal é responsável pela construção das ruas, meio fio, galerias e a ligação da luz e água até a residência, uma contrapartida no valor de R$ 2.758.267,74.

“Nossa compromisso é com as pessoas que mais precisam da administração pública e é por ela que estamos trabalhando. Esta é só a primeira parte de um projeto que irá beneficiar ao todo 500 famílias são-miguelenses”, reitera o prefeito Claudio Dutra.

 

Unidades habitacionais – O Prefeito Claudio Dutra, desde sua gestão em 2013 com a parceria da AMASMI e COHAPAR, já entregou 115 casas no Loteamento Moradias Araras, 22 casas no Bairro Ecovila, 54 casas no Residencial São Jorge, 34 Unidades Habitacionais Rurais  e agora mais 250 casas no Loteamento Liberdade.
 

Ao todo foram viabilizados 741 lotes de interesse social; 54 lotes no Condomínio Modelo; 138 lotes no Cataratas III (o condomínio foi o 1º projeto e o Loteamento Cataratas III foi autorizado pelo Conselho de Habitação a pedido da AMASMI). Ainda, viabilizou a regularização fundiária de 75 casas no Conjunto Renascer, 18 casas no Loteamento Ecovila e 33 casas no Loteamento Barro Branco.


ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO

Publicado às 08h50


Compartilhe

Google+